Nenhuma empresa nasceu para ser uma Startup para sempre. Afinal não se quer ser “um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza” para o resto da vida! Em algum momento é preciso encontrar esse modelo de negócios e encontrar um certo grau de certeza…

O fato da empresa crescer e se estabelecer traz coisas boas. Poder se dar ao luxo de ter um escritório mais confortável, não precisar varar noites para solucionar problemas de TI, equipes maiores, menos insegurança financeira, mais clientes e a possibilidade de fazer planos para o futuro, entre outras coisas.

Mas existem certas práticas das Startups que oferecem dinamismo e agilidade. Como conduzem à inovação, precisam ser mantidas, ou adotadas, para podermos acompanhar a rápida evolução dos mercados de hoje:

Almoçar e tomar café juntos

Sair da formalidade de uma agenda de reuniões é uma maneira excelente de aprofundar relacionamentos, descontrair e deixar fluir novas ideias. Deixar o email e celular de lado, onde precisamos ser precisos e objetivos, e praticar o olho-no-olho e o relaxamento: isso propicia o brainstorming e a livre associação de ideias.

Experimentar e arriscar

Essa é talvez a característica mais marcante de uma Startup, uma vez que vive num universo de extrema incerteza. Tudo o que uma Startup faz é um experimento e um risco. Obviamente que uma empresa estabelecida não deve se jogar no mundo e colocar todas as fichas em uma única aposta, mas reservar uma parcela das atividades para ideias mais mirabolantes pode dar retornos maravilhosamente inesperados.

O Google, potência que é, incentiva que uma parte do tempo dos seus funcionários seja dedicado a projetos pessoais. Um desses projetos certamente pode levar à mais nova febre de inovação! Quem sabe? Precisa arriscar!

Atividades interdisciplinares

Startups são notórias pelas suas pequenas equipes de pessoas que precisam dominar vários assuntos ao mesmo tempo e realizar várias funções simultâneas. Compreender o quê e como seu colega realiza seu trabalho, entender o funcionamento e necessidades de outros departamentos, conduz à criatividade e inovação.

Ter pessoas do atendimento ao consumidor nas reuniões de desenvolvimento de produto, ou unir o departamento de marketing com o de vendas, convidar programadores ou engenheiros a fazerem atendimento ao consumidor… é possível vislumbrar como estas combinações podem levar a produtos e serviços mais conectados com as necessidades de cada departamento. Não é mesmo?

Manter um relacionamento próximo com seus usuários e clientes

No início, com poucos usuários, tudo o que eles dizem é fundamental para ajustar as características do produto ou serviço, pois um pequeno detalhe pode levar ao fracasso. Com o decorrer do tempo, e o aumento da clientela, é fácil se distanciar. Achar que, agora que o sucesso chegou, já sabemos o que o cliente quer. É fácil ignorarmos as dicas que os clientes nos dão sobre seu grau de satisfação.

Talvez não seja possível ter um relacionamento pessoal com cada cliente, mas é fundamental encontrar uma maneira de dialogar com a comunidade, nem que seja por amostragem! Reserve algumas horas por semana para conversar com seus clientes. O retorno será valioso!

Transparência

Essa característica é fácil quando a empresa tem 5 pessoas, mas como manter as informações fluindo e uma comunicação saudável em todos os níveis? Uma possibilidade é ter reuniões mensais com equipes e o CEO, por exemplo, para que as informações corram de forma irrestrita.

Algumas empresas como Stripe e Buffer optaram pela transparência absoluta: com endereços de email compartilhados, dados financeiros, e até salários abertos para todos verem, qualquer informação, a qualquer momento. Outras, como o Google, promovem reuniões mensais onde funcionários podem perguntar QUALQUER coisa para o CEO dando, a ambos os lados do diálogo, acesso direto ao pensamento do momento.

Simplicidade

Não complique demais o seu serviço ou produto com recursos novos. Na maioria das vezes são os produtos mais simples e intuitivos que vencem no final. Antes de incluir alguma coisa avalie se é realmente necessário, e se for, qual é a sua forma mais simples. Minimalismo é a chave. Isso evita desperdícios.

Pare de planejar e comece a realizar

Quando se tem poucos recursos muitas vezes é necessário agir rapidamente e realizar antes de planejar. Isso oferece uma agilidade de adaptação ao mercado muito superior do que das empresas tradicionais costumam ter.

É claro que, ao crescer, o planejamento se faz necessário para que tudo corra bem. A empresa não deve se afastar do fazer, do implementar e do construir. Para evitar o planejamento excessivo é necessário criar processos que, depois de implementados, ajudem a liberar tempo das pessoas para efetivamente realizar coisas. Reuniões no máximo uma vez por semana! Deixe as pessoas trabalharem.

No final das contas, a chave é encontrar as práticas que funcionam para o estilo da sua empresa e da sua equipe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *